Prevenção

  1. Conheça o Outubro Rosa e saiba como fazer o autoexame da mama

    Criado no início dos anos 1990, o movimento "Outubro Rosa" vem conscientizando mulheres de todo o mundo sobre a prevenção ao câncer de mama, principalmente. O sintoma mais comum deste tipo de câncer é o aparecimento de nódulos na mama que, geralmente, são consistentes, indolores e irregulares. No entanto, o câncer de mama também pode causar edemas cutâneos (uma irregularidade na pele semelhante à casca de uma laranja), dor, descamação, até ulceração do mamilo, hiperemia e inversão do mamilo.

    Em todo o mundo, o câncer de mama representou 24,2% do total de casos de mulheres com câncer em 2018, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Só no Brasil, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima mais de 66 mil novos casos deste tipo de câncer, representados com a taxa de incidência de 43,74 casos por 100.000 mulheres.

    As empresas que quiserem participar da campanha podem aderir ações de conscientização sobre o câncer de mama dentro da empresa, iluminar as fachadas de

    Leia mais »
  2. Campanha do coração: conheça o “Setembro Vermelho”

    A campanha “Setembro Vermelho” alerta sobre os cuidados com o coração e procura combater a desinformação e a falta de prevenção. O mês foi escolhido porque no dia 29 é comemorado o Dia Mundial do Coração, criado no ano 2000 pela Federação Mundial do Coração com apoio das Nações Unidas. Desde então, o mundo todo realiza ações diversas para promover a conscientização da importância da saúde do coração.

    Segundo levantamento realizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), 17,5 milhões de pessoas morrem no mundo a cada ano por doenças cardiovasculares, o que representa 31% de todas as mortes do mundo. No Brasil, o número de óbitos chega a 350 mil por ano. Órgão vital, o coração está sujeito a diferentes males e cerca de 80% dessas doenças podem ser evitadas com hábitos saudáveis cotidianos.


    Praticar atividades físicas

    O corpo em movimento beneficia a saúde do coração, pois ele trabalha com mais eficiência, sem ter que fazer tanto es

    Leia mais »
  3. Setembro Amarelo e a importância da prevenção do suicídio

    Tudo sobre a Campanha Setembro Amarelo está no Blog da Drogaria Total.  Veja mais sobre a origem da data, ações de conscientização e dados relacionados ao suicídio. Saiba também como buscar ajuda. Acesse agora e leia o conteúdo completo.

    Leia mais »
  4. Cigarro: seus males e perspectivas de mudança

    Leia no Blog da Drogaria Total quais são os malefícios do cigarro para o nosso organismo, porque as pessoas começam a fumar, a quantidade de fumantes no Brasil e de mortes causadas pela dependência da nicotina. Descubra também as perspectivas de mudança, ações e como parar de fumar.

    Leia mais »
  5. Esclerose múltipla é o tema do “Agosto Laranja”

    O Blog da Drogaria Total explica a campanha Agosto Laranja, voltada à conscientização da Esclerose Múltipla. Leia mais sobre a importância do diagnóstico precoce, sintomas e como reconhecer a doença.

    Leia mais »
  6. Alzheimer: causas, sintomas e como prevenir

    Entenda o Alzheimer, a conhecida doença degenerativa do cérebro que afeta a memória e diferentes funções mentais.

    Saiba mais sobre as causas, sintomas e formas de prevenção dessa doença, ainda sem cura.

    Leia mais »
  7. Saiba quais as doenças mais comuns no inverno e a relação com a Covid-19

    O inverno traz consigo um período mais seco, sem chuvas, e estimula as pessoas a ficarem mais aglomeradas para não sentirem as baixas temperaturas. Coincidentemente, o ápice da pandemia causada pelo novo Coronavírus chegou junto com essa estação do ano em nosso país, o que pode alastrar ainda mais a Covid-19 e confundir seus sintomas com outras doenças comuns em tempos mais frios. Por isso, hoje vamos esclarecer um pouco mais sobre alguns desses males que aparecem quando a temperatura cai.

     

    - RESFRIADO

    A mais comum entre as doenças do inverno, o resfriado é mais brando, durando em média de três a cinco dias. Pode causar dor de garganta, espirros, coriza e até febre mais baixa, mas são tratados com antitérmicos e analgésicos. Para evitar, basta manter uma alimentação saudável, bastante hidratação e lavar sempre as mãos.

     

    - GRIPE

    Apesar de parecida com o resfriado, a gripe ataca o organismo de maneira bem mais forte.  Também provoca coriza, congestão nasal e dor de garganta, além de calafrios, febre alta e dor de cabeça. Para qualquer doença, é sempre indicado procurar um médico. Já há vacina para gripe, que apesar de não imunizar contra todos os tipos existentes, já diminui drasticamente o risco de contágio.

     

    - RINITE ALÉRGICA

    É uma doença crônica, causada por reações alérgicas que podem se tornar ainda mais constantes durante o inverno, com o tempo mais seco e aumento de poeira no ar, por exemplo. Ela é causada por uma inflamação na mucosa nasal e pode causar coriza, espirros e bastante coceira nos olhos e no nariz. O antialérgico é essencial no combate e o médico pode indicar ainda um corticoide nasal e lavagem do nariz com solução específica. Mantenha alimentação saudável, exercícios físicos e distância de fumantes ou pessoas com resfriados para prevenir.

     

    - OTITE

    A famigerada infecção de ouvido, que pode ser média (causada por vírus ou bactérias associados a problemas respiratórios), ou externa (causada pelo excesso de água no canal auricular ou por algum trauma proveniente de algo inserido no ouvido). Além da dor, a otite causa diminuição da audição, tontura e a pessoa pode escutar um zumbido constante. O médico deve receitar antibiótico para tratar. Para evitar, proteja os ouvidos contra o vento, tome cuidado ao inserir hastes flexíveis para limpar, além de evitar as doenças citadas acima.

     

    - SINUSITE

    A doença causada pela inflamação nos chamados seios do rosto causa dores na face e de cabeça, secreção e até obstrução nasal. O tratamento ocorre com descongestionantes nasais baseados em corticosteroides, analgésicos e anti-histamínicos, além de antialérgicos e antibióticos se a causa for bacteriana. Manter-se hidratado, com boa alimentação, evitar ficar próximo a fumantes ou locais com alta concentração de poluentes no ar são formas eficazes de prevenção.

     

    - OBSERVAÇÃO SOBRE A COVID-19

    Causada pelo novo Coronavírus, a Covid-19 pode causar febre, tosse seca e cansaço, por isso pode causar confusão com os sintomas de outras doenças citadas antes. É preciso ficar alerta para os principais sintomas que identificam a doença, como dificuldade para respirar, falta de ar, dor ou pressão no peito e a perda de fala. Nesse caso, vá a um hospital com urgência, utilizando máscara para evitar a retransmissão do vírus. Para evitar, respeite o isolamento social, evite aglomerações, lave sempre muito bem as mãos e use máscara.

    Leia mais »
  8. Julho Amarelo promove conscientização das hepatites virais

    Com o novo mês, tem início uma nova campanha. O “Julho Amarelo” visa conscientizar sobre a importância da prevenção, diagnóstico e tratamento das hepatites virais. As do tipo A e B já possuem vacinas que as detêm. A hepatite C ainda não possui vacina, mas já há uma cura para este tipo. Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 0,7% dos brasileiros, de 15 a 69 anos já tiveram contato com o vírus do tipo C.

    As hepatites são doenças que promovem a inflamação do fígado. Em 2010 a Organização Mundial da Saúde instituiu o dia 28 de julho, seria o Dia Mundial da Luta contra as Hepatites Virais. Desde então, vários países iniciaram ações diversas para promover a conscientização da população sobre essas doenças, que apresentam características distintas entre seus tipos. Os mais comuns de hepatites são causados pelos vírus A, B e C, mas existe também os vírus D e E, este último mais frequente na África e na Ásia.

    Essas doenças nem sempre apresentam sintomas, porém os mais comuns são olhos e pele amarelados, cansaço, febre, mal-estar, tontura, vômitos, dor abdominal, urina escura e fezes claras. Há algumas medidas simples que previnem a infecção, como manter exames de rotina e visitar seu médico regularmente, não compartilhar agulhas e seringas, sempre exigir materiais descartáveis e esterilizados em salões de beleza ou estúdios de tatuagem, e usar preservativos.

    Leia mais »
  9. Diálogo: a melhor prevenção às drogas ilícitas

    Data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Dia Internacional sobre o Abuso e o Tráfico Ilícito de Drogas tem o intuito de alertar a população, principalmente, para os problemas sociais causados pelas drogas ilícitas, além de promover o combate à dependência química e ao tráfico de drogas.

    As drogas ilícitas trazem diversos males para o corpo humano, como problemas de coração, destruição de neurônios, desenvolvimento de doenças contagiosas, mau funcionamento dos rins, lesões no fígado, além de causar dependência e desenvolver doenças psiquiátricas.

    O tema é muito importante, pois uma ação simples pode ter grande impacto no combate a essas drogas: o diálogo. Alguns dos principais motivos que levam pessoas às drogas são influência de amigos, desejo de fuga (em especial de problemas familiares), dificuldade em lidar com situações estressantes ou difíceis, a busca por sensações de prazer, entre outros. Por isso a importância do diálogo. Conversar com o filho ou se mostrar aberto ao diálogo com um amigo que passar por uma situação difícil pode salvar a vida dessa pessoa.

    Pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz em 2017 (mas só divulgada no ano passado), mostrou que 3,563 milhões de brasileiros consumiram drogas ilícitas no período recente ao estudo.

    Há tratamento para aqueles que já entraram nesse mundo, mas a prevenção é sempre a melhor solução, e ela pode estar ao alcance de suas mãos. Uma vez que crianças e adolescentes são estatisticamente mais propensos a começarem a usar drogas, é importante que os pais mantenham sempre um canal de comunicação aberto, com diálogo sincero com seus filhos, para que eles possam se sentir à vontade para conversar. Diga não às drogas e passe essa mensagem adiante.

    Leia mais »
  10. Conheça a doença falciforme e a importância do teste do pezinho

    Um dos distúrbios genéticos mais comuns no Brasil, a doença falciforme tem esse nome devido a uma alteração ocorrida nos glóbulos vermelhos do sangue, que tomam um formato parecido a uma foice. Esse aspecto diferente das hemácias dificultam a circulação de oxigênio nos tecidos de todo o corpo, causando palidez, desidratação, infecções frequentes, cansaço intenso, dores no corpo (principalmente nas pernas, tórax e articulações), e podendo causar, inclusive, acidentes vasculares cerebrais (AVC).

    Segundo estatística do Ministério da Saúde divulgada em 2018, há entre 25 e 50 mil pessoas no Brasil vivendo com a doença falciforme que, por ser um distúrbio genético, é hereditário. A doença começa a se manifestar já no primeiro ano de vida do bebê, por volta dos seis meses. Por isso o popular teste do pezinho, realizado já nos primeiros dias de vida do bebê, é de extrema importância para identificar essa alteração nas hemácias e dar início ao tratamento, que envolve a prevenção de infecções, transfusão de sangue, alguns medicamentos específicos de uso oral, entre outros recursos.

    A doença falciforme tem diferentes graus de gravidade e o transplante de medula óssea tem curado alguns casos com êxito dessa doença em crianças, principalmente, apesar de ser um tratamento ainda em fase experimental.

    Você, mãe! Não deixe de fazer o teste do pezinho em seu bebê! É possível conviver com a doença falciforme, mas quanto antes identificar o distúrbio e começar o tratamento, é possível garantir uma melhor qualidade de vida para seu filho.

    Leia mais »
Página